Crossfit e seu potencial hipertrófico

Crossfit e seu potencial hipertrófico, será que é possível aumentar a massa muscular com esse tipo de treinamento? Os dois fatores primários que são postulados para mediar adaptações hipertróficas no treinamento de força são:

  • a tensão mecânica (treinos com maior intensidade) e o
  • estresse metabólico (treinamentos com maior número de repetições realizados ate a falha)

Tensão mecânica: A tensão sobre os músculos inicia um fenômeno chamado de mecanotransdução em que os mecano-receptores do músculo ultrapassam o sarcolema, tais como as integrinas, e convertem a energia mecânica em sinais químicos que medeiam vários processos intracelulares anabólicos e catabólicos de forma a favorecer a síntese sobre a degradação proteica (Hornberger et al., 2006).

Estresse metabólico: O estresse metabólico oriundo do exercício de força é resultante da produção de energia (ATP) por meio da glicólise anaeróbia, o qual é responsável pelo acúmulo de metabólitos, como por exemplo, o lactato, fosfato inorgânico e íons de hidrogênio (H+)¹³. O estresse metabólico possui papel importante no recrutamento muscular de fibras de contração rápida, a liberação de hormônios anabólicos e o aumento da síntese proteica com ativação das vias associadas à mTOR (Loenneke et al., 2010).

Nesse aspecto, o treinamento de Crossfit contempla a parte da tensão mecânica (nos treinos de força) e do estresse metabólico (na parte do treino do condicionamento metabólico, caracterizado por altos números de repetições ate a falha).

(Foto Yan Lahud – Boiler)

Deixe um comentário

Navigate