Fernando de Noronha: uma viagem dos sonhos

Fernando de Noronha é um arquipélago brasileiro de origem vulcânica do estado de Pernambuco, pertence à Recife (capital pernambucana) e está situado no Oceano Atlântico. Os voos para lá saem somente de Recife e de Natal e sem dúvida é um dos lugares mais lindos do mundo, com uma energia tão especial que a torna uma viagem dos sonhos.

Estive em Noronha pela primeira vez em 2015 (dias 13-18 de outubro) e estava bem na época da reprodução das sardinhas, o que enriquece a vida marinha próximo à faixa de areia das praias (na minha opinião) e este ano voltei nos primeiros dias do mesmo mês (dias 2-9) e a viagem foi igualmente maravilhosa, mas com uma vida marinha bem menor nas praias. Costumo brincar que ir a Fernando de Noronha é maravilhoso, mas que “voltar” é muito melhor!

A ilha é pequena e possui apenas uma rodovia que a corta de ponta a ponta, o acesso às praias parte sempre da rodovia seguindo por estradinhas de chão (pedras, terra e muitos buracos) e por isso o buggy torna a viagem muito mais prática, divertida e gostosa, inclusive na minha opinião passear de buggy pelas estradas de Noronha é um evento a parte! A propósito, sempre alugamos com o buggy com o Bruno (tel: 081 99928-2516). Muitos optam por uma viagem mais econômica e se deslocam de ônibus, que não circulam pelas estradinhas de acesso às praias, por isso inclua a caminhada nesta opção de transporte. Para constar, entre o buggy e o ônibus estão as motocicletas e bicicletas como opção de transporte também.

Na hora de decidir onde ficar leve em consideração o quanto quer gastar, pois as pousadas que se equivalem no preço também se equivalem na estrutura. Para facilitar o entendimento vou classificar as diárias em 4 níveis:

  • D) diária até uns 300 reais (consideradas pousadas domésticas com cozinha coletiva e na maioria das vezes o banheiro também é compartilhado)
  • C) diária até uns 600 reais (a maioria tem um quarto com suíte, ar condicionado e café da manhã super simples, são aquelas que passaram por uma “maquiagem” para valorizar)
  • B) diária até uns 1.000 reais (são as pousadas mais arrumadinhas ou que sofreram alguma reforma, café da manhã com mais opções e chá da tarde simples)
  • A) diária acima ou bem acima de 1.000,00 (são as pousadas maiores e que passaram por boas reformas e modernização, geralmente possuem um restaurante que é aberto ao publico também)

Para você ter uma noção no ano passado nós ficamos na pousada Colina dos Ventos (que se encaixa na classificação B) e este ano ficamos na pousada Jomar (que se encaixa na C) e para o tipo de viagem que eu e meu marido gostamos a pousada mais econômica é muito melhor, nós saímos logo após o café da manhã, voltamos para tomar banho antes do jantar e retornamos na hora de dormir. Po exemplo, o quarto e o banheiro da Colina dos Ventos são bem mais bonitinhos, mas tão pequeno que só conseguia abrir a mala em cima da cama e o chuveiro não estava bom (não adiantou avisar), a vista da pousada é encantadora (mas isso é o que não falta em Noronha). O quarto da Jomar tinha uma cama de casal e uma de solteiro, espaço para abrir as malas e se deslocar ao mesmo tempo (risos), chuveiro bom e uma varandinha que nos rendeu boas conversas antes de dormir, mas a estrutura é muito simples, o banheiro tem canos aparentes e o café da manhã é um pouco mais simples. Ano passado começamos a viagem no Nannai e terminamos em Noronha e concluímos que a beleza natural cresceu na mesma medida que perdemos conforto, atendimento e hospedagem (risos).

Para “existir” em Fernando de Noronha você precisa pagar uma Taxa de Preservação Ambiental referente a cada dia que permanecerá na ilha e vale a pena pagar pela internet antes da viagem para agilizar a chegada no aeroporto. Para fazer qualquer trilha e conhecer as praias do Sancho e Sueste, precisa pagar o ingresso ao Parque Nacional Marinho (PNM) que tanto faz pagar pela internet ou na ilha, pois a fila é uma só. Todas as pousadas oferecem serviço de translado na chegada, em ônibus, vans ou caminhonetes (lembre-se: diária mais cara equivale a transporte melhor) e o translado de volta para o aeroporto só é gratuito caso tenha feito algum passeio com a agência de turismo, mas nós sempre combinamos com o Bruno de deixar o buggy no aeroporto (melhor opção da vida).

Vale a pena chegar na ilha, deixar as malas na pousada, fazer a carteirinha do PNM, abastecer o buggy, comprar água e só depois curtir o paraíso. Não se assuste com os preços das coisas por lá, tudo é muito caro e difícil de chegar até a ilha. Para matar a saudade de quem já foi e aguçar os sentidos de quem pretende ir, mais fotos….

Forte N. Senhora dos Remédios
Forte N. Senhora dos Remédios
Praia do Sancho
Praia do Sancho
Buraco do Galego, na Praia do Cachorro
Buraco do Galego, na Praia do Cachorro
Praia Caçimba do Padre
Praia Caçimba do Padre

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Praia do Leão
Praia do Leão
img_7294
Praia do Sueste

Deixe um comentário

Navigate