1º trimestre de gestação X exercícios

Pratiquei exercícios durante o meu 1º trimestre de gestação e continuei até o 8º mês, no último mês eu perdi a vontade de fazer e respeitei, simplesmente parei. Tinha vontade de ficar em casa, de me afastar de barulhos e agitação, aproveitei para me conectar ainda mais com o meu filho e foi ótimo ter vivido assim.

Vou dividir aqui minha experiência pessoal e em seguida vou compartilhar uma sequencia de posts técnicos da minha amiga querida e pesquisadora Ingrid Dias @ingridbfdias pois acredito que esse assunto deva ser informado com a extrema competência, qualidade técnica e responsabilidade que ela faz. Importante ressaltar que a prática de exercícios deve ser liberada pelo médico obstetra que acompanha a gestação.

Quando descobri que estava grávida, praticava musculação e pedalava na academia regularmente, crossfit, yoga e natação de vez em quando. Era essa “bagunça organizada” que me dava prazer em praticar exercício e motivação para fazer sempre, sou daquele tipo de pessoa que gosta de variar. Nos 3 primeiros meses eu senti um cansaço e um sono praticamente incompatíveis com a vida, portanto faltei muitos e muitos dias de treino para dormir.

No dia que fiz o terceiro teste de farmácia e deu positivo, fui para a academia treinar tão feliz que me empolguei e treinei como se nada tivesse acontecido (não é o que recomendo e muito menos o que deveria ter feito, mas fui tomada por uma empolgação incontrolável e parei quando já estava no quarto exercício se não me engano) e dali em diante treinei de forma bem adequada.

Como sou formada em Educação Física não tive dificuldade em ajustar o meu treino e como tenho um histórico de ter treinado alguns anos com intensidade alta eu conheço bem o meu limite, mas mesmo assim conversei por mensagem com a Ingrid para ouvir a opinião que eu julgava a mais confiável de todas.

Nunca fui uma nadadora regular e meu marido sempre me classificou na natação como uma nadadora martelo (cai na água e vai direto pro fundo da piscina – ele é exagerado tá gente?!) então continuei nadando muito pouco durante a gestação. Nadei tão pouco que nem me lembro a partir de quando parei de nadar e como nunca nadei muito bem, continuei naquelas braçadas que não me exigiam grandes esforços toda vez que me aventurava na piscina. Gostava mesmo era de ficar deitada enquanto meu marido ia nadar, verdade seja dita!

Por esta razão não há muito o que contar sobre minha experiência de treino de natação durante o primeiro trimestre de gestação, consequentemente me resta focar na prática de yoga, de musculação e de crossfit nos posts a seguir.

Deixe um comentário

Navigate