Colaboradores

Como a alimentação pode influenciar nossa memória

A memória é influenciada pela interação entre genética e meio ambiente. Assim, fatores ambientais como alimentação, estresse, exposição a alguns xenobióticos (compostos químicos estranhos ao organismo ou ao sistema biológico, ex.: metais pesados) e saúde intestinal podem melhorar ou prejudicar a memória. Ao aderir hábitos alimentares mais saudáveis as chances de melhorar o desempenho cognitivo e de memória são bem maiores. Está relacionada com a perda de memória a ingestão de metais pesados como o chumbo (presente em alguns alimentos, água e no ar), do arsênio, cuja exposição ocorre normalmente pela ingestão de água contaminada e do mercúrio (presente em alguns medicamentos, peixes e em produtos odontológicos para obturação de dente entre outros). Um trabalho verificou que o consumo de alimentos ricos em: zinco, metionina, tiamina, taurina, tirosina, ácido ascórbico e glicina, foram benéficos para prevenir os prejuízos no aprendizado e na memória e para reverter a neurotoxicidade do chumbo.…

Anabolizantes X Cérebro : existe relação?

Um atual estudo (Structural Brain Imaging of Long-Term Anabolic-Androgenic Steroid Users and Nonusing Weightlifters. Biol Psychiatry. 2016;. pii: S0006-3223(16)32529-X)  investigou a utilização crônica de esteroides anabolizantes e suas consequências na estrutura cerebral. Neste estudo foram selecionados 82 usuários de esteroides anabolizantes que utilizavam de forma acumulativa estas substâncias por mais de 1 ano (os pesquisadores não mencionaram a dose e o tipo de esteroides anabólicos). O outro grupo era formado por 68 sujeitos que não nunca utilizaram nenhum tipo de esteroides anabólicos. Todos os sujeitos eram praticantes de treinamento de força. Após avaliações do cérebro com ressonância magnética foi observado que os usuários de esteroides anabolizantes apresentavam significativa redução do córtex cerebral de 4.76% do córtex cerebral (camada mais externa do cérebro rico em neurônios), 4% da massa cinzenta (área responsável por interpretar os impulsos nervosos das regiões do corpo até o encéfalo, produzir impulsos e coordenar atividades musculares e reflexos),…

Exercícios com caneleiras e uma análise crítica

Segue uma breve análise crítica de um artigo citado em redes sociais na tentativa de condenar o exercício de 4 apoios com caneleiras (e outros) na efetivação dos glúteos. O estudo em questão é do Boren e cols (2011) publicado no periódico The International Journal of Sports Physical Therapy (sem FI e nem classificação no qualis capes). Na introdução, o artigo traz informações referentes à análise de músculos responsáveis pela estabilização pélvica (alguns profundos) focando (principalmente) em exercícios TERAPÊUTICOS e na ativação muscular por eletromiografia de superfície (SEMG). Nos estudos citados, os autores do paper apresentam dados para ordenação dos exercícios pelo nível de atividade mioelétrica dos glúteos máximo e médio (tabelas 1-3). Neste sentido, o objetivo do estudo foi comparar a amplitude do sinal EMG dos músculos citados em diversos exercícios clínicos comuns (18 exercícios) com os resultados dos outros estudos. “Cuidado ao acreditar em tudo que se…

Saúde da mulher e o poder da nutrição!

Saúde da Mulher Além de bem alimentada a mulher deve se preocupar em estar bem nutrida. Níveis saudáveis de vitaminas, minerais e fitoquímicos, melhoram a imunidade, a inflamação, os desequilíbrios intestinais, a queda de libido, a desmineralização óssea, a depressão, e outros. A seguir falaremos um pouco mais sobre alguns pontos: Testosterona, progesterona e estrógeno A partir dos 40 anos há uma diminuição nos moduladores da testosterona e um aumento da quantidade de estrógeno, eles competem pelos mesmos receptores celulares, desde os centros sexuais no cérebro até nas áreas genitais. Podendo assim, ocorrer uma queda de libido. Importante é que haja um equilíbrio e para que isso ocorra deve-se evitar a aromatização, ou seja, processo que transforma a testosterona e a progesterona em estrógeno, aumentando significativamente a quantidade de estrógeno no organismo, podendo estar associado ao câncer de mama, ovário e útero. Para que isso não ocorra é importante manter…

Anticoncepcional hormonal: conheça os prós e os contras

Se você usa anticoncepcional hormonal, provavelmente esta feliz com a conveniência de saber quando menstruar (ou ter o controle de não menstruar), pele livre de acnes e a segurança para anticoncepção que a pílula traz quando usada corretamente. Existem inúmeros benefícios para o uso da pílula e indicações clinicas para tal. Dentre os benefícios, podemos citar diminuição do volume do fluxo menstrual, controle da síndrome de ovário policísticos, controle de crescimento de miomas, menor risco para câncer de ovários e endométrio e síndrome de tensão pré menstrual mais branda. No entanto, existem também alguns efeitos colaterais sérios, que devem ser levados em consideração quando se inicia (ou mantém) o uso do método.  Alguns destes efeitos você já deve ter notado, mas não associou ao uso do medicamento. Vejamos: Aumento do risco de eventos trombóticos, principalmente em fumantes, sobretudo em fumantes com mais de 35 anos. Redução dos níveis fisiológicos de…

Calor, Hidratação e Exercício Físico

Muitas dúvidas surgem quando o assunto é: Calor, Hidratação e Exercício Físico e por isso abordaremos esse tema tão interessante e importante não só para a saúde e integridade física do praticante, mas também para a performance. As dúvidas mais frequentes foram reunidas e esclarecidas no texto abaixo: De modo geral, temperaturas elevadas interferem na prática de atividades físicas? Por quê? Sim, pois nosso corpo possui termorreceptores sensíveis à variação de temperatura, consequentemente, eles procuram manter nossa temperatura corporal entre 36ºC a 37ºC.  Temperaturas elevadas transferem calor do meio externo para o nosso corpo, desta forma, os termorreceptores enviam uma mensagem para os centros termorreguladores localizados no hipotálamo, para manterem a regulação da temperatura corporal (Br J Anaesth 2000; 84: 615-628). Este mecanismo de equilíbrio promove sudorese intensa na pele associada a grande quantidade de fluxo sanguíneo (condutor do calor) na região cutânea (a pele fica avermelhada). Assim, a sudorese intensa promove…

Será que devemos alongar entre as séries?

Pode ou não pode alongar entre as séries?? (INTERSET STRETCHING). Com o surgimento de métodos e técnicas como o FST-7 que envolvem a realização de alongamentos nos intervalos entre as séries surgiram dúvidas a cerca da eficiência desta prática. Especula-se que tal prática resulte em ganhos musculares menos pronunciados devido ao efeito concorrente. De fato, o desempenho nos exercícios supino e agachamento parece sofrer reduções quando alongamentos específicos (30″) são realizados para os músculos alvo durante o intervalo entre as séries (3 séries até a falha com carga para 8RM) (Souza et al., 2009). Apesar disso, o alongamento entre as séries parece resultar em adaptações similares ao treinamento tradicional na força, flexibilidade e nas respostas hormonais após 8 semanas de treinamento (Souza et al., 2013). Desta forma, a não ser que precise mobilizar o máximo de carga possível para um fim específico, não tem problema realizar alongamentos no intervalo entre as séries.…

Crossfit e seu potencial hipertrófico

Crossfit e seu potencial hipertrófico, será que é possível aumentar a massa muscular com esse tipo de treinamento? Os dois fatores primários que são postulados para mediar adaptações hipertróficas no treinamento de força são: a tensão mecânica (treinos com maior intensidade) e o estresse metabólico (treinamentos com maior número de repetições realizados ate a falha) Tensão mecânica: A tensão sobre os músculos inicia um fenômeno chamado de mecanotransdução em que os mecano-receptores do músculo ultrapassam o sarcolema, tais como as integrinas, e convertem a energia mecânica em sinais químicos que medeiam vários processos intracelulares anabólicos e catabólicos de forma a favorecer a síntese sobre a degradação proteica (Hornberger et al., 2006). Estresse metabólico: O estresse metabólico oriundo do exercício de força é resultante da produção de energia (ATP) por meio da glicólise anaeróbia, o qual é responsável pelo acúmulo de metabólitos, como por exemplo, o lactato, fosfato inorgânico e íons de…

Musculação e Dor no ombro: o que fazer?

Musculação e síndrome do impacto no ombro. Para aqueles que já sentiram dor no ombro treinando (quem nunca?)! O principal “motor” para o movimento de abdução do ombro é a porção média do deltóide. A questão é que a articulação do ombro é um esferóide rasa, ou seja, a cabeça do úmero depende imensamente de fatores estabilizadores (como o manguito) para “rodar” em contato com a glenóide e fazer a abdução sem transladar superiormente. Outro detalhe importante é que o movimento de abdução é limitado até 90o e qualquer movimento de elevação lateral do ombro acima dessa angulação irá gerar um impacto de tendões e bursa contra o chamado “arco ou teto duro” do ombro (acrômio e clavícula). Assim, os movimentos como a Remada Alta e Elevação Lateral acima de 90o são importantes geradores de impacto, simulando muito um teste conhecido pelos Ortopedistas como Hawkins-Kennedy. Na contramão, um fator de proteção contra o…

Disbiose intestinal

Disbiose intestinal é uma alteração ou desequilíbrio da mucosa intestinal devido ao aumento das bactérias patogênicas, cuja consequência pode ser distúrbios para o organismo como inflamações intestinais, diarreia e/ou constipação. Lembrando que a microbiota intestinal varia ao longo do tempo, veja alguns fatores que contribuem negativamente: infecções ou tratamentos com antibióticos; alimentação desequilibrada e com muitos industrializados; bebidas alcóolicas; estresse falta de nutrientes Existe uma ligação permanente entre a nossa microbiota e o sistema imunológico intestinal, já que os micro-organismos que habitam nosso corpo e principalmente intestino participam ativamente de nosso metabolismo (o sistema imunológico intestinal tem total ligação com o sistema imunológico do nosso organismo de uma forma geral). A serotonina tem 90% dos receptores no intestino e consequentemente resolvendo a disbiose intestinal, estará melhorando também a serotonina e as intercorrências que sua falta gera, como desânimo e depressão. Para reequilibrar a microbiota intestinal faz-se necessário o consumo de alimentos…

Navigate